DEGEO

DEGEO

8 de ago de 2011

O PRECONCEITO CONTRA AS MULHERES NO MERCADO DE TRABALHO DE JUAZEIRO DO NORTE.


Edneuton Alves da Cruz Costa*


INTRODUÇÃO


Estamos presenciando uma transição na sociedade, acompanhado varias mudanças nas formas de pensar dos homens, fatos históricos que a alguns séculos atrás dificilmente aconteceria, é percebido neste momento a força da mulher, essa capaz de quebrar paradigmas com rupturas trazendo mudanças irreversíveis na sociedade feminina. O homem contemporâneo aos poucos esta se curvando diante da forma majestosa de gerir o mundo.
São varias as ascensões de mulheres a elevados cargos, como a direção do FMI, no Brasil pela primeira vez uma mulher é eleita presidente da republica, todas essas conquistas nos remontar uma sociedade mais igual sem preconceitos, mesmo assim essas mudanças ainda são marcadas por muitas desconfianças de alguns homens e principalmente mulheres. “não posso errar para que outras mulheres não perda a oportunidade de chegar até aqui, tenho que superar as expectativas e serem motivos de orgulho para essa população de mulheres” (ROUSSEFF, eleições 2010).
É necessário ressaltar que o trabalho procura mostrar como vive a sociedade de Juazeiro do Norte mediante o quadro mundial, percebesse como as mulheres atuantes na cidade em questão são desvalorizadas, o numero de mulheres atuando na produção de renda é altíssimo, porem não fugindo a uma regra é pequeníssimo a quantidade de empresas na região dirigida por mulheres, elas se revelam insatisfeita com o modelo machista adotado, moldes advindos do próprio convívio familiar, elemento agregados aos valores pessoais da região, exigindo um longo processo de desconstrução do universo superior masculino.

UM OLHAR DO MUNDO

Com um olhar diferente dos homens as mulheres foram capazes de transforma o mundo, mesmo considerada frágil ela tem demonstrado uma fragilidade aparente no contexto histórico da humanidade é notável as varias transformações ocorridas no seio da sociedade.
O mundo passou por transformações profundas, o homem deixou de ser nômade chegando a era técnico-cientifico-informacional, essas mudanças foram marcadas por varias guerras, conflitos e revoluções. A mais importante transformação acontece quando o olhar feminino ao observa sementes deixadas pelo cominho ver brotar novos frutos, esse foi o principal passo para fazer emergir o homem sedentário e o inicio das revoluções.
 Um dos principais problemas enfrentado pela mulher nesta fase de transformação é a sua submissão, aceitando uma vida de servidão onde ira marcar profundamente seu futuro.
Centenas de anos passaram até serem dados os primeiros passos por mulheres que entrariam para a história por desafiar a força masculina, as quais escandalizariam a forma correta de obediências, assim trocando os longos vestidos pelas calças, o lar pela independência, deixando de ser simples mães para superar os desafios do mercado de trabalhos.
No atual momento estamos diante de verdadeiras mudanças de paradigmas, aos poucos as mulheres que deram suas vidas como no incêndio criminoso nos estados unidos por reivindicações de melhores condições de trabalhos tem conseguido seu reconhecimento, no novo cenário mundial é constante a indicação de mulheres para elevados cargos, esses só disponibilizados para homens, no Brasil como em todo o mundo é presenciado tal mudança de comportamentos, mas há muitas mudanças que devem ser feitas.
No mundo da tecnologia, das informações em tempo real ainda surpreendes as atitudes de países como o Irã, onde até então matam e encarceram aquelas que não se curvamdiante da obediência masculina, maridos cruéis que praticam no intimo da palavra machismo a sua pior face, a do preconceito, pois preconceito é qualquer a manifestação de inferiorizar outro ser, seja ele de cor ou de gênero.
Machismo ou chauvinismo masculino é a crença de que os homens são superiores às mulheres. A palavra "chauvinista" foi originalmente usada para descrever alguém fanaticamente leal ao seu país, mas a partir do movimento de libertação da mulher, nos anos 60, passou a ser usada para descrever os homens que mantém a crença na inferioridade da mulher, especialmente nos países de língua inglesa. No espaço lusófono, a expressão "chauvinista masculino" (ou, simplesmente, "chauvinista") também é utilizada, mas "machista" é muito mais comum( ARANHA 1998)
É nesta corrente de pensamento que o seguinte trablho tenta enfatizar uma linha de entendimento do machismo na sociedade de juazeiro do norte, pois não é preciso sair do Brasil para vermos desrespeito com a figura feminina, a nossa região introduziu na sua cultura o significado da palavra machismo tão bém que claramente se percebe como as mulheres da região tem sofrido varios abusos, esses cometidos em varios setores da socidade principalmente no convivio familiar.

MULHERES E SEUS DESAFIOS

No advento do seu centenário o juazeiro do norte ainda carrega uma grande divida com as suas mulheres, mesmo tão jovem diante de outras cidades do Ceará e com um notável crescimento é importante destacar que as mulheres que fizeram ou fazem historia nesta cidade estão praticamente esquecidas.
Parando para refletir sobre o fenômeno juazeiro do norte, a história revela que essa cidade tem um grande e importante marco no seu crescimento o suposto milagre de Juazeiro do Norte, episodio manifestado em uma mulher, ela passaria a ser o marco desse assombroso crescimento e logo depois se tornaria esquecida no tempo. Na atualidade temos visto vários casos como o da Beata Maria de Araujo, mulheres vitimas de preconceitos e diversas formas de violência, a violência eclesiástica não só condicionava as mulheres a uma vida de servidão como ainda legitimava as atitudes machistas, refletindo na atualidade em uma violência contra as mulheres da região praticada pelos próprios companheiros.
A mulher juazeirense não foge a regra ela é independente,mas mesmo assim continua sendo dona do lar, mãe ou escrava do marido, porém as maiores algemam não são postas pelos homens e sim pela própria mulher que se deixar dominar,aceitando a submissão imposta pela sociedade machista sem reclamar e às vezes até concordando com tais absurdos.“Minha bisavó reclamava que minha vó ere muito tímida, minha avó pressionou minha mãe ser menos cética, minha mãe me educou para ser bem lucida e eu espero que minhas filhas fugam desce cárcere que é passar a vida transferindo regras(MARTHA MEDEIROS, EM REVISTA 2004 ).
O Juazeiro mesmo jovem é um importante centro comercial do Ceará e do Mundo, contando com vários setores, Extrativismo, Serviços de Industriais de Utilidades Publicas, Construção Civil, Serviços, Comercio, Administração Pública e Agropecuária, temos uma população feminina maior que a masculina, segundo dados doInstituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE 2010). Então seria correto pensar, a maioria dos cargos gerados é preenchida por mulheres, cargos bem variados, desde empregadas domésticas até grandes executivas.
A realidade é outra o numero de mulheres formalmente empregadas é inferior aos dos homens e outro fato que não poderia passar despercebido, a maioria das empresas desta região não tem cargos de comando ocupado por mulheres.
...tanto o gênero quanto o sexo são inteiramente culturais, já que o gênero é uma maneira de existir do corpo e o corpo é uma situação, ou seja um campo de possibilidades culturais, recebidas e reinterpretadas. Os fatos biológicos, nus da sexualidade, não falam por si próprios: eles devem ser expressos socialmente. Sente- se o sexo como individual ou, pelo menos, privado, mas estes sentimentos, sempre incorporam papeis, definições, símbolos e significados dos mundos nos quais eles são construídos. (SOUZA, 2009)
Entre os vários setores empregatícios foi dada ênfase ao setor de serviço e de construção civil, principalmente ao de assistência técnica automotiva, esse é um dos setores bastante destacado na geração de empregos desta cidade, porém reflete na pratica as diferenças do universo masculino e feminino, aceitando as mulheres passivamente que serviço pesado é coisa de homem, pois nas varias concessionárias da região no exercício da oficina não foi encontrada nenhuma figura feminina ao contrario as próprias mulheres descriminam as que tentam entrar neste tipo de profissão técnica, a mesma realidade acontece nos canteiros de obras da cidade, algumas mulheresalegam que alguns serviços transformam a personalidade feminina.
"A mulher, para entrar na área técnica, tem que ter muito saco, muita coragem, ter peito, porque senão você desiste. Além de ganhar bem menos que todo mundo, você tem uma sobrecarga de trabalho enorme e para testar até a sua capacidade. Além de ser extremamente cobrada, você nunca atinge... Se a meta da empresa é atingir 100% e você atingiu120%, você é avaliada como regular. Então você não consegue entende nesse métiero que é excepcionalidade. Entendeu? Você é mulher... Agora pro homem não tem esse problema não." (EM REVISTA 2004).

É importante destacar que o juazeiro é uma das cidades mais heterogêneas da Ceará principalmente pela a quantidade de pessoas vindas de outra região, fato que poderia de certa forma ter contribuído positivamente para uma formação da personalidade das mulheres desta região, porém as mulheres de juazeiro do norte em sua maioria e resultado da pobreza, analfabetismo, fome e misérias de uma forma geral, não se podeafirma que a população de Juazeiro do Norte é acomodada, levando em conta que no atual momento estamos presenciadosvarias transformações, porémnão se pode deixar de lado que certa mazelas não condicionam as pessoas mais influenciam na sua forma de pensar e agir, retardando dessa forma as mudanças.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nesse sentido é notável perceber diante de tantas revoluções e conquistas pelo o universo feminino, ainda se deparamos com problemas estruturais advindos de vários séculos de submissão a uma sociedade hegemonicamente masculina, ressaltando assim as mulheres mais poderosas do mundo não é uma regra e sim uma exceção, levando tais dados para a esfera local, emblematicamente é visto como as próprias mulheres criam suas regras de reclusão.
Nesse sentido entende-se que a sociedade de Juazeiro do Norte tem longos tabus a ser abolida, uma população refém da igreja e da família, principais instituições que contribuíram para domesticação feminina, elementos superados aos poucos principalmente após a década de 1970.
Portanto cabe aqui considerar que por meio da educação aos poucos homens e mulheres vão diminuindo os preconceitos e desconstruindo o mito de uma sociedade divida por gêneros, com trabalhos divididos por sexo, pois não é sexo o determinador de profissão A ou B mais a aptidão para executara modalidade em destaque.

REFERÊNCIAS

http://www.ipece.ce.gov.br/ acesso em 24\07\2011
Abromovay, Miriam. Engendrando um novo feminismo: Mulheres Lideres de Base. 1º edição. Brasilia-UNESCO 1998.
BRUSCHINI, Cristina. LOMBARDI, Maria Rosa. A Bi-Polaridade do Trabalho
Feminino no Brasil: O Emprego Doméstico e as “Novas” Ocupações. Mulher e
Ocupação 1999.

Olhares Feministas / Hildete Pereira de Melo, Adriana Piscitelli, SôniaWeidner Maluf, Vera Lucia Puga(organizadoras). – Brasília : Ministério da Educação : UNESCO, 2007.
SOUSA, Sandra Maria Nascimento. Mulheres emmovimento: memória da participação das mulheresnos movimentos pelas transformações das relaçõesde gênero nos anos1970 a 1980. 2 ed. São Luís/MA: EDUFMA, 2009.

Graduandos do Curso de Geografia do IV – Semestre
Disciplina – Geografia da População
Professor – João Ludgero Sobreira Neto

Um comentário:

  1. O artigo acima aborda uma questão interessante que pode ser vista no cotidiano,segundo
    o autor, mas acredito que o artigo sirva de reflexão para leitores que possam explorar
    ou que venha a se interessa pelo tema exposto. O artigo tem alguns erros de digitação,
    mas não fica a meu criterio critica-lo afinal cada um tem sua responsabilidade perante seus trabalhos...

    GILSON

    ResponderExcluir