DEGEO

DEGEO

2 de ago de 2011

A EVOLUÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO

Ana Claudia de Sousa*
Karla Gilmara Feitosa Pereira*


INTRODUÇÃO


Este artigo trata sobre a evolução da mulher no mercado de trabalho na região do Cariri, onde as determinações de antigamente, ditavam que o marido tinha total controle sobre a mulher e elas não tinham o direito de trabalhar, mas apenas, cuidar dos filhos e do lar, ou seja, era o homem que comandava todas as despesas da família.
Com o passar dos tempos as mulheres foram ganhando espaço no mercado de trabalho e seus valores femininos foram ganhando capacidade em equipe contra o antigo individualismo, e tento convicção de lutar contra a oposição ao autoritarismo, a cooperação no lugar da competição.
Hoje as mulheres ministram grandes cargos graças ao seu desempenho e sua coragem para lutar a favor de espaço no mercado de trabalho, as mesmas estão no topo de grandes empresas, servem ao exercito, dirigem automóveis, comandam tropas e estudos científicos e o direito ao voto com a conseqüente autonomia legal em relação a direito civis, a maior igualdade no acesso à educação e já chegaram também à presidência da republica.
Não há dúvidas de que nos últimos anos a mulher está cada vez mais presente no mercado de trabalho. Não há um único lugar onde a mulher ainda não tenha chegado, ou seja, ela a cada dia esta invadindo o espaço masculino. Este fenômeno tem ocorrido em todo o mundo tanto nos países desenvolvidos como nos países que estão em desenvolvimento, e o Brasil não esta de fora deste desenvolvimento, pois temos como um grande exemplo Dilma Rousseff que foi eleita a Presidenta da Republica.

A PARTICIPAÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO DO CARIRI
        
As pesquisas apontam, em geral, as mulheres com salários mais baixos, pouco ou nada presentes nos cargos de chefia e mais sujeitas a demissões. Esta discriminação para com elas em relação a sua participação no mercado de trabalho é um preconceito de épocas passadas, sendo que hoje em dia está sendo excluído, graças ao bom desempenho que elas vêm exercendo na economia de mercado.
Pois este quadro contém exceções, depende da disposição e organização, entre homens e mulheres que terão, sim, tratamento igual com respeito às diferenças. A agenda sindical e as empresas socialmente responsáveis no campo da discriminação de gênero e raça serão responsáveis pela preservação da igualdade entre ambos.
A presença da mulher na economia brasileira se deve a confiança para assumir sua força e lidar com as diversas situações profissionais a fim de obter credibilidade e sucesso na sua vida profissional. Pelo tratar da caminhada, apesar dos fatores ainda discriminativos, inclusive de caráter sexista, que impedem a plenitude da igualdade de direitos, no Cariri, as mulheres já são quase a metade da força de trabalho.
Percebemos que o grande avanço da mulher no mercado de trabalho na região do Cariri vem sendo um dos principais fatos que a modificam, do ponto de vista econômico e social. A vida profissional compartilhada com as mulheres tem se revelado mais ativa e mais interessante, tendo sucesso em tudo em que se empenha fazer, apesar de ser muito cobrada a mulher é um exemplo de vida, pois ela transforma suas metas em ações reais.

CONCLUSÃO

A evolução das mulheres no mundo do trabalho fez com que suas características fossem se alterando, passando a ocuparem postos de trabalho tidos como masculinos. A forte entrada das mulheres nas universidades produziu um impacto nas carreiras profissionais de prestigio, onde antes predominavam os homens. Hoje elas estão ocupando postos cada vez mais elevados em empresas, e estão se inserindo de forma consistente nas carreiras técnicas e científicas.
Na empresa do conhecimento, a mulher terá cada vez mais importância estratégica, pois trabalha naturalmente com a diversidade, a sensibilidade feminina fazendo com que surjam soluções variadas e criativas para problemas aparentemente insolúveis.
Elas apontaram caminhos, criaram novos conceitos, e provaram que poderiam ser tão bem-sucedidas quanto os homens, ganhando cada vez mais espaço na política, sociedade, e no trabalho, com o compromisso de manter o equilíbrio sem perder a sua feminilidade, perante uma nova forma de viver, pensar e agir. O mais interessante é que neste processo de conquista, as mulheres que mais avançam são justamente aquelas que não fazem da condição feminina seu cavalo de tróia.

REFERÊNCIAS

FALCÃO, Juliana. Elas realmente não fogem à luta. http:// WWW. Google. com. br. Acesso em 09 de julho de 2011.
RAMOS, Murilo e TORRES, Flavia. Novidade: a igualdade esta ficando igual. Veja São Paulo edição especial. Acesso em 09 de julho de 2011.
PRIORI, Mary Del e BASSANEZI, Carla. Historia das mulheres no Brasil. 2. Ed. São  Paulo: contexto 1997.
MAIA, katy; LIRA, Sachiko Araki. A Mulher no Mercado de Trabalho. IPEA< WWW. ipea. Gov. br. Acesso em 09 de julho de 2011.

Graduandos do Curso de Geografia do IV – Semestre
Disciplina – Geografia da População
Professor – João Ludgero Sobreira Neto

Um comentário:

  1. Decarla e Joana:
    O presente trabalho sem dúvidas conseguiu atingir níveis elevados nas suas fundamentações e informações que não obstante não deixam de ser verídicas;poderia também ter sido tocado na questão da "feminização da pobreza", eventuais erros não invalidam seus resultados nem sua credibilidade perante nossa avaliação!
    Isso é tudo!

    ResponderExcluir